What's happening?

Vídeo 187 Views Report Error

  • Watch trailer
  • DUL AUDIO
A Possessão de Mary

A Possessão de Mary

Você não tem por onde escaparSep. 19, 2019USA84 Min.R
Your rating: 0
1 1 vote

Sinopse

A Possessão de Mary

David é um capitão de navio que luta para dar uma vida melhor para sua família. Estranhamente levado a comprar um navio abandonado que está sendo leiloado, David acredita que ele será o ingresso sem volta para a felicidade e a prosperidade de seus amados. Entretanto, depois de embarcarem em uma jornada marítima, eventos aterrorizantes começam a assombrar a família, fazendo cada um deles questionar a própria sanidade.

Crítica

Filmes de terror costumam ter suas próprias celebridades, mas isso não significa que atores “de fora” não dêem as caras em produções de gênero – especialmente aqueles que prezam pela variedade e experimentação em suas carreiras. Gary Oldman é um desses casos, tendo atuado desde dramas premiados no Oscar, como Destino de Uma Nação (2017), jogos de tiro como Call of Duty: Black Ops, episódios de Friends e, sim, clássicos do horror como Drácula de Bram Stoker (1992). Mesmo assim, nem mesmo sua presença e experiência são capazes de segurar uma bomba que nem A Possessão de Mary (2019).

 

O filme, que só chegou ao Brasil em 2020, acompanha uma família de marinheiros que compra um antigo barco como forma de recomeçar, após conflitos entre o casal David (Oldman) e Sarah (Emily Mortimer) ameaçarem um divórcio. No que saem em uma viagem inaugural com destino nas Bahamas, logo percebem que a embarcação pode estar amaldiçoada por uma presença fantasmagórica. No cinema de terror, ter uma premissa básica não é empecilho desde que a produção compense em algum outro aspecto, seja os sustos, a construção da tensão ou a assombração de amedrontar. Mary não acerta em nada.

Intercalando entre flashbacks e os relatos de uma Sarah traumatizada na delegacia, o ritmo é arrastado demais para uma trama tão previsível e pouco inspirada. Mesmo quando as tragédias começam a acontecer, a família tenta agir naturalmente sem muito motivo, o que só cria pausas anticlimáticas. Os personagens não tem pingo algum de desenvolvimento para segurar esses momentos, mas mesmo assim o filme insiste em criar dramas familiares fracos, como o citado conflito entre o casal principal, ou a relação dos filhos com os pais. A performance de Oldman representa bem todo o lado “emocional” do longa: mesmo sendo um ator talentoso, aqui entrega atuação robótica e desinteressada. Com diálogos vergonhosos e progressão narrativa estranha, não dá para realmente culpá-lo pela falta de compromisso.

A Possessão de Mary

O lado sobrenatural deve melhorar um pouco, certo? Muito pelo contrário, é um fantasma de CGI barato e sustos gratuitos que fecham o pacote medíocre. O diretor Michael Goi tem certa experiência no gênero, já que passou por séries como American Horror Story e Monstro do Pântano, mas aqui sequer tenta construir tensão alguma para os momentos de horror. No comando da direção e da fotografia, Goi entrega um trabalho meia boca em ambos os departamentos.

O cinema de terror é populado de filmes questionáveis, e isso nem de longe é um problema já que o público recebe de braços abertos produções dos mais variados níveis de qualidade. Porém, as que conquistam um grupo de fãs – seja pela ironia ou não – normalmente têm charme, intenções arriscadas e cenas memoráveis e absurdas. A Possessão de Mary, que mais parece um lançamento direto-para-DVD da metade dos anos 2000, é o melhor exemplo de que um longa preguiçoso e sem alma, que não tenta nada de novo. É muito pior do que um que mira alto demais, fracassa mas se diverte no processo.

A Possessão de Mary
Título original Mary
IMDb Rating 4.4 3,211 votes
TMDb Rating 4.7 44 votes

Director

Michael Goi
Director

Elenco

Compartilhamento0

Títulos Similares

Terror no Pântano 4
Abandonada: O Mal Foi Eleito
Evocando Espíritos
Apóstolo
The Horrific Evil Monsters
Terra dos Mortos
O Colecionador de Unhas
Assim na Terra Como no Inferno
A Colina Escarlate
Diário dos Mortos
Beyond Hell
1922

Deixe um comentário

Name *
Add a display name
Email *
Your email address will not be published